Ida a Wolfsburg 3/10 | AutoMuseum Volkswagen – Refrigerados a ar

<– Post anterior: Ida a Wolfsburg 2/10 | AutoMuseum Volkswagen – Refrigerados a água

Continuando nossa visita, começam a aparecer os modelos de mecânica mais antiga, a ar.

Os Aircooled

Nessa parte alguns exemplares dos Type 3, incluindo um modelo com peças transparentes, onde podemos ver detalhes que não veríamos num carro comum…

(passe o mouse sobre as fotos para mais informações)

Type 4, outro modelo que gostaria de ter, em qualquer versão, pela exclusividade.

Em seguida, diversas Kombi, a Type 2, quase tão famosa quanto seu procedente.

Alguns Karmann Ghia, que na minha opinião é um dos mais belos carros já produzidos.

O Volkswagen Type 181, conhecido nos EUA como Thing (“Coisa”), foi fabricado entre 1968 e 1983, a princípio para fins militares. A exemplo do Fusca e outros VW a ar, nunca teve alterações drásticas no design.

Dois modelos bastante distintos, mas ambos de 1965 e com mecânica de Fusca, chamam a atenção no museu: O Volkswagen Type 147 (Fridolin) é um veículo comercial produzido pela montadora alemã de 1964 até 1974. Já o Formula Vee era feito pras pistas, e com apenas 55hp era capaz de atingir 185km/h.

Assim como no Brasil, a plataforma do Fusca serviu de base para o desenvolvimento de muitos fora-de-série pelo mundo. A seguir 3 raros exemplares (clique nas fotos para mais informações sobre cada modelo).

A estrela do museu

Finalmente chegamos ao mais significativo automóvel já produzido na história, o VW Type 1. Também conhecido como Beetle, Bug, Käfer, Escarabajo, Vocho, Sedan e até mesmo Fusca.

Destaque para os charmosos conversíveis.

Duas séries especiais, sempre raras e desejadas por colecionadores. A bonita versão Jeans de 1974 (por aqui tivemos um Chevette Jeans, em 1979).

E a versão Silver Bug, produzida no México pra comemorar a marca de 20 milhões de Fuscas produzidos no mundo, o que aconteceu em 15 de maio de 1981. Foram fabricados inicialmente 2000 unidades, e outras 1700 numa segunda edição, já em 1982. O motor era um 1200 de 34hp.

Dezenas de modelos inusitados também ficam expostos no AutoMuseum.

Fusca 4 portas era feito pela Rometsch e usado primordialmente como taxi. O chassi era aumentado em 25cm.

Destaque para a unidade 746 – de apenas 850 produzidos – da versão brasileira Última Série de 1986. Como sabemos, esta não foi a última série – na verdade o último Fusca produzido no Brasil foi o Itamar Série Ouro, de 1996.

Também tem um exemplar do último Fusca produzido no mundo – o famoso Last Edition, mexicano, de 2003.

Mencionei no último post que gostaria de ver um Apollo ou Logus neste museu. Bem, com relação aos aircooled, sem dúvida alguma que mais fez falta foi o VW Brasilia, projeto brasileiro que tende a se valorizar muito no meio antigomobilista.

Na continuação da nossa visita, uma mostra especial – Kafer Im Sportdress. Quem sabe um pouco de alemão deve imaginar do que se trata…

Continua: Ida a Wolfsburg 4/10 | AutoMuseum Volkswagen – Mostra especial Kafer Im Sportdress –>